Bolide Banner
O Conto da Orbe
O Conto da Orbe

O Conto da Orbe

O Conto da Orbe é o meu primeiro romance. Uma obra de ficção apaixonada cheia de poesia, talvez o primeiro de uma peculiar saga com um verdadeiro toque lusitano. Uma narrativa inesperada e empolgante que mergulha sinuosamente no realismo fantástico, um género pouco comum, quase inédito no universo dos autores modernos portugueses.


O Conto da Orbe | Episódio 13 | Meninas e Caprichos — “Lágrimas de todos os povos”

10 Dec 2020 7 minute read 0 comments M. Jesus Victor

Subitamente a chuva parou. Preparavam-se para sair quando o rapaz se deteve, virando-se para a porta atrás deles; rodou a maçaneta, e entrou. O Mestre seguiu-o, observando em silêncio o jovem, que parecia ausente. Na sua frente, a sala grande forrada...

O Conto da Orbe | Episódio 12 | Meninas e Caprichos — “Uma aldeia fantasma”

17 Nov 2020 5 minute read 0 comments M. Jesus Victor

O vento batia-lhes de frente parecendo mãos suaves querendo impedi-los de avançar, a areia fina atrasava-lhes a caminhada, e a luz do Sol brilhando indiferente quase os cegava. O mar ondulava ligeiramente, e as tímidas rebentações eram o único som —...

O Conto da Orbe | Episódio 11 | Vésper do Sul — “Contornos desnudos”

8 Nov 2020 6 minute read 0 comments M. Jesus Victor

… Vésper via-se no meio do mar, pairava a escassos centímetros da água. Olhava em redor e nada, só o horizonte vazio, e tudo parecia em paz. No seu coração, porém, sentia a inquietação que, surgindo do nada se agitava e impunha. Olhou para baixo, na...

O Conto da Orbe | Episódio 10 | Vésper do Sul — “Uma recepção ruidosa”

2 Oct 2020 4 minute read 0 comments M. Jesus Victor

Gui levantou-se e pegou na lanterna. Ao abrir a porta apanhou o maior susto; todos se voltaram para ver do que se tratava: logo ali na entrada, iluminados pela luz do interior da casa estavam os quatro homens sentados em cima de uma enorme arca, de c...

O Conto da Orbe | Episódio 9 | Vésper do Sul — “Precioso demais”

12 Sep 2020 5 minute read 0 comments M. Jesus Victor

Já sentados puderam apreciar o esforço do cozinheiro. Digna de Epicuro, a mesa apresentava um verdadeiro banquete: num prato grande repousava uma fumegante e bem temperada almonjava; num tabuleiro, com bananas a acompanhar, estavam várias postas grel...

O Conto da Orbe | Episódio 8 | Vésper do Sul — “As cores do crepúsculo”

4 Sep 2020 5 minute read 0 comments M. Jesus Victor

As cores do crepúsculo eram sempre diferentes na ilha, talvez por causa do mar ou do sul. Vésper não perdia um desde que chegara àquela bendita praia. Desde que o velho morrera, ele e Gui assistiam por vezes à sublime exibição sentados debaixo da gra...

O Conto da Orbe | Episódio 7 | Vésper do Sul — “Um pequeno sopro de nostalgia”

26 Aug 2020 5 minute read 0 comments M. Jesus Victor

Sara e seu pai Mentesúfis, com a ajuda dos quatro homens, trouxeram a grande mesa de madeira para a praia, e puseram-na com a refeição festiva e bem regada que haviam preparado entretanto durante toda a manhã, com a ajuda de Gui. Vésper e a cozinha n...

O Conto da Orbe | Episódio 6 | Vésper do Sul — “As cores da aurora”

16 Aug 2020 4 minute read 0 comments M. Jesus Victor

Quando chegou a casa já estava escuro, as luzes do estaleiro estavam apagadas — facto que estranhou; àquela hora era costume ainda estarem a trabalhar. Viu pela janela da casa Guilherme e Gui que jantavam na companhia dos quatro homens. Ficou a obser...

O Conto da Orbe | Episódio 5 | Vésper do Sul — “Uma ária antiga”

5 Aug 2020 4 minute read 1 comment M. Jesus Victor

Vésper, sempre que podia, ia até à aldeia a casa de Mentesúfis e rondava a sua biblioteca, devorando livro após livro, como uma abelha que recolhe pólen para o seu precioso mel. Gui, o filho do velho, começara a namorar Sara, filha de Mentesúfis. Ass...

O Conto da Orbe | Episódio 4 | Vésper do Sul — “Espaço para renascer”

16 Jul 2020 5 minute read 0 comments M. Jesus Victor

A aldeia piscatória da ilha de Nana tinha crescido desordenada e encavalitada ao longo do canal, como quem espreita em bicos de pés para ver o mar. A dada altura, o canal segue sozinho com os seus dois molhes valentes como um par de braços de pedra e...